Diálogos com o Espírito de Bertrand Russell


 


Perguntas-me como descobri Deus.
Eu não o descobri. Ele se desvela. Ele se mostra. Ele é a totalidade racional que a razão obscurecida pela matéria e por nossos vícios não entende. Deus é o mais precioso mistério; é a abundante vida que todo ser aspira. Deus é o que nunca podemos ser, mas o que sempre podemos tocar, sentir, respirar. Deus foi o calor que senti após a gélida travessia. Em Deus repousa o sentido, e é nele que a busca cessa.

Espírito Bertrand Russel

.

Não é meu hábito fazer trabalhos aqui recorrendo à simplicidade, às vezes preguiçosa, do “copy-paste”.
Mas para tudo há momentos próprios e, estando ocupadíssimo com outras investigações e tarefas que dentro de algum tempo irão animar estas páginas, não resisti à tentação de trazer aqui uma comunicação mediúnica de Bertrand Russel, uma personalidade insigne da cultura, da ciência e da filosofia que, para além disso, era um cidadão comprometido, corajoso e activo.
Admirei sempre o seu perfil de homem culto, de activista do pensamento solidário, enérgico na defesa da Humanidade, da dignidade cívica e da Paz.
O testemunho aqui registado poderá revelar-nos que os ateus, os materialistas e os cépticos, no cúmulo das suas qualidades humanas, além de cidadãos da mais alta valia, poderão ser almas brilhantes de elevadíssima evolução.

A leitura da sua comunicação é um momento inspirador, comprovativo dos horizontes inesgotáveis da magnânima obra da Criação.
Se um ateu convicto pode chegar ao mundo espiritual, vindo até nós com tão belíssimas palavras, tudo confirma o que sabemos quanto ao brilhante futuro de luz e de paz de que nos fala a magnífica cultura espírita.
Admirei  por isso a vasta constelação de oportunidades de reflexão espiritual que a comunicação encerra, merecedora de um extenso e bem elaborado comentário.

O depoimento mediúnico que nos é apresentado pelo importantíssimo trabalho do IPEAK, recomendado por aqui variadas vezes e de diversas formas, de que sou atento seguidor, presenteia-me frequentemente com documentos importantes.
Esta comunicação, assinada pelo Espírito Bertrand Russel, é produto de um avançado trabalho de pesquisa mediúnica ilustrativo do melhor que nos pode dar a magnífica cultura espírita.
Vai publicada mais abaixo, depois dos conteúdos facultados  a respeito de Bertrand Russel, com aplauso para a generosidade qualificada do IPEAK.

Diálogos com o Espírito de Bertrand Russell
Filósofo que na Terra foi ateu e materialista

Em o Livro dos Médiuns, item 292, que fala sobre a sorte dos Espíritos temos as seguintes orientações:
21ª Podemos pedir aos Espíritos informações sobre a situação em que se encontram no mundo dos Espíritos?
Sim, e eles os dão de bom grado quando o pedido é ditado pela simpatia, ou o desejo de ser útil, e não pela curiosidade.”
22ª Podem os Espíritos descrever a natureza de seus sofrimentos ou de sua felicidade?
Perfeitamente, e as revelações desta espécie são um grande ensinamento para vós, porque vos iniciam no conhecimento da verdadeira natureza das penas e das recompensas futuras; destruindo as falsas ideias que fazeis a esse respeito, elas tendem a reanimar a vossa fé e a vossa confiança na bondade de Deus. Os bons Espíritos se sentem felizes em vos descrever a felicidade dos eleitos; os maus podem ser constrangidos a descrever seus sofrimentos, a fim de provocar neles o arrependimento; nisso encontram eles, às vezes, até uma espécie de alívio: é o desgraçado que se lamenta, na esperança de obter compaixão.
Não esqueçais que o fim essencial, exclusivo, do Espiritismo é a vossa melhora e é para o alcançardes que é permitido aos Espíritos vos iniciar na vida futura, oferecendo-vos exemplos de que podeis aproveitar. Quanto mais vos identificardes com o mundo que vos espera, menos lamentareis esse onde agora estais. Eis, em suma, o objectivo actual da revelação.”

Pois bem, seguindo essas orientações dadas pela Ciência Espírita, em nosso grupo evocamos o Espírito de um filósofo contemporâneo, que na Terra foi ateu e materialista, a fim de obter informações sobre sua passagem ao mundo dos Espíritos.

Eis aqui alguns dados biográficos do filósofo que evocamos:

Nascido em 1872 e falecido em 1970, Bertrand Russell foi um influente matemático, filósofo ateu e lógico que viveu no século XX. Popularizou a filosofia e a física, em livros de divulgação científica. Publicou mais de 40 livros a respeito de temas tão variados como educação, política, história, religião, ética, casamento e ciência. Sua grande contribuição, no entanto, deu-se no campo da lógica matemática e da filosofia analítica, de que foi um dos fundadores. Foi o vencedor, em 1950, do Prémio Nobel de Literatura. Russell opôs-se constantemente à existência de armas nucleares desde a sua primeira utilização. Em 1955, Russell lançou o Manifesto Russell-Einstein, co-assinado por Albert Einstein e outros nove cientistas e intelectuais notáveis, um documento que levou à primeira das Conferências Pugwash sobre Ciência e Assuntos Mundiais em 1957. Em 1958, Russell tornou-se o primeiro presidente da Campanha para o Desarmamento Nuclear. Demitiu-se dois anos mais tarde, quando o CDN não o apoiou em um ato de desobediência civil, e formou o Comitê dos 100. Com quase noventa anos, em Setembro de 1961, foi preso por uma semana por incitar à desobediência civil e por ter participado de uma grande manifestação chamada ban-the-bomb no Ministério da Defesa, mas a sentença foi anulada por causa de sua idade já avançada.

No dia 30 de Setembro 2008 Russell foi evocado na intimidade, por um dos médiuns do GEAK, para que falasse da sua passagem ao mundo dos Espíritos. Ele ditou o que se segue:

“Morrer é despir-se. É transitar nu em avenida movimentada. Uma nudez estranha, poderosa, constrangedora. A morte do materialista é difícil, mas por um lado melhor do que a de muitos espiritualistas. Quem se dedicou para merecer o céu, às vezes não o encontra, enquanto quem esperava desfazer-se não mergulha no nada, mas no todo. Minha morte foi isso: um mergulho em um mar gelado e real de vida incessante (e nu, como havia dito).

Confesso que a proximidade do fim produz pensamentos contraditórios. As verdades consagradas tendem a perder a força, dando lugar a receios, desconforto e (para meu desespero) esperança. Esta gota de orvalho que refrescou minha alma na passagem colocou-me em situação inusitada: misto de entrega ao abismo com expectativa de algo novo. O corpo se despede da alma ainda a desejando. São como dois amantes que, mesmo sabendo da impossibilidade de continuar a relação, ainda arriscam beijos demorados de uma despedida inevitável que desejam prolongar.
A nudez gélida na sibéria da realidade sacudiu-me. Estava vivo. Estava feliz. Como isso? Nada de céu, nada de Inferno. Sem anjinhos robustos a me esperar; sem criaturas chifrudas no meu encalço. Somente o frio e a solidão de minhas inquietações naquele momento novo.
Passado esse período, que não posso precisar o tempo de duração, recebi visitas agradáveis e logo pude locomover-me para encontrar queridos amigos que, àquela altura já sabia, estavam vivos como eu. Experiências e experiências de felicidade! Venturoso é aquele que encontra seus amores e dialoga com seus pares: uma nova Matemática, uma nova Filosofia, um novo saber científico, uma nova expressão do amor. Bebi nas fontes mais puras da Sabedoria. Conheci relatos de cristãos da primeira hora, conheci passagens belíssimas dos ensinos de Buda. Dialoguei com Sócrates.
O que é a morte? Para mim é vida. É estar religado ao Universo sem amarras, sem tormentos, sem necessidades, sem anseios.
Perguntas-me como descobri Deus.
Eu não o descobri. Ele se desvela. Ele se mostra. Ele é a totalidade racional que a razão obscurecida pela matéria e por nossos vícios não entende. Deus é o mais precioso mistério; é a abundante vida que todo ser aspira. Deus é o que nunca podemos ser, mas o que sempre podemos tocar, sentir, respirar. Deus foi o calor que senti após a gélida travessia. Em Deus repousa o sentido, e é nele que a busca cessa.

Russell.

Psicografada pelo Sr. C. C. M., em 30 de setembro de 2008.

.

Observação:

O IPEAK informa que estas comunicações irão continuar, facto a que estaremos muito atentos.

LER CONTINUAÇÃO EM IPEAK (basta clicar nesta frase)


.

O SÁBIO BERTRAND RUSSEL ESTAVA PLENAMENTE DE ACORDO COM A CULTURA ESPÍRITA, NA SUA SENSATA RECUSA DAS PENAS ETERNAS…

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Anúncios

Sobre espiritismo cultura

A Realidade desta e de outras vidas
Galeria | Esta entrada foi publicada em Cultura e Artes, Diálogos com o Espírito de Bertrand Russell, Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s