“O LIVRO DOS ESPÍRITOS”, de Allan Kardec, em português de Portugal

>

Está feita uma nova tradução de “O LIVRO DOS ESPÍRITOS”, de ALLAN KARDEC, em PORTUGUÊS de PORTUGAL, com NOTAS de contextualização cultural.

Ao fundo desta notícia – ligação para descarregar o LIVRO

09549 p>

O espiritismo é uma cultura acessível, que pode contribuir para a felicidade de todos. FAÇAM O FAVOR DE LER esta notícia até ao fim.


A visão da vida das pessoas com a explicação natural e simplificada da origem e do destino das suas existências, pode fazer-se numa conversa breve, entre amigos, acessível a todos.
Foi assim que, na adolescência já muito longínqua, um amigo nos descreveu com facilidade espontânea as noções essenciais da cosmovisão espírita.
O efeito dessa conversa amistosa ficou connosco para sempre e, no tempo em que o dogmatismo religioso coabitava irmãmente com a ditadura política, não havia outro modo de dar entrada na cultura espírita, por ser actividade proibida pelas polícias do tempo, sobretudo a de natureza religiosa que  sustentava a ideia de que os espíritas falavam com o diabo!...
Estávamos em pleno século XX, cerca de 1.500 anos depois do concílio de Constantinopla que expulsou dos “textos sagrados” o conceito de reencarnação!…
Como detalhe precioso, e porque há muita ingenuidade e falta de memória por aí, não é escusado dizer-se que a venda de livros espíritas estava, nesse Verão quente de fim dos anos 50,  no “Index” religioso do regime, isto é, era proibida pela “censura”!…


O método dialogante e aberto entre grupos de pessoas interessadas, a que acima se faz referência, continua a ser possível.
Uma conversa entre amigos vale muito mais que uma palestra bem encenada e é o melhor caminho para o conhecimento emancipador da doutrina que a todos pode trazer a PAZ INTERIOR  e a ESPERANÇA no futuro desta e de outras vidas.
Os dois autores da tradução aqui mencionada não vão esquecer-se de prestar homenagem fraterna ao nosso querido amigo Joaquim Inácio Zapata de Vasconcelos (O “Senhor Vasconcelos” que era músico e homem de cultura) que, ao fim de um dia de Verão, em Leiria, passeando ao fresco da noite, nos contou tudo a respeito do espiritismo!…

Leiria, cidade da nossa juventude, onde eram abundantes e muito prestigiados culturalmente os adeptos da doutrina espírita!…

Leiria, sem tempo, um quadro pintado a acrílico s/ tela da autoria... do autor deste lugar da net!... (O Senhor Vasconcelos trabalhava na rua que fica em frente, do lado esquerdo desta Praça Rodrigues Lobo, muito perto da minha casa.

Leiria, sem tempo, um quadro pintado a acrílico s/ tela, com data de 1990,  do mesmo autor deste lugar da net!…

A característica essencial desta tradução, que sugere a passagem de toda a obra de Kardec para o português que se fala em Portugal, num clima cultural aberto, é propor o regresso metódico a uma obra muito conhecida pelo seu nome, mas escassamente debatida; abrindo o seu acesso, se possível, a novos públicos e a jovens inquietos pelo grande mistério da sua origem e do seu destino.
Acentuamos que os comentários anexos, que irão ser substancialmente reforçados em futuras edições, são apenas uma breve incursão no domínio de um debate de ideias que gostaríamos de ver partilhado e enriquecido pelo maior número de leitores, espíritas e não espíritas.

O destino adequado para “O Livro dos Espíritos” não é permanecer imóvel, como peça sacralizada de ideias petrificadas. Julgamos que deve ser entendido por todos os seus leitores de antes, de agora e do futuro, como uma obra energicamente VIVA e justificadamente ABERTA.

“O Livro dos Espíritos”,  foi escrito por Hipólito Leão Denisard Rivail, sob o pseudónimo de Allan Kardec, e a sua tradução foi feita diretamente a partir da língua francesa, conforme a segunda edição original de 1860, de modo a torná-lo acessível a todas as pessoas que falam a língua portuguesa dos dias de hoje, isto é, do ano de 2016.

O espiritismo falado em português de Portugal


Temos pesquisado o que é possível para encontrar traduções com o grau desejado de autonomia e autenticidade linguística para o português de Portugal dos dias de hoje. No mercado imediatamente acessível só encontrámos versões revistas para português, mas visivelmente subsidiárias das antigas traduções brasileiras, com todas as respetivas características.

Pensamos que não é prestigiante para os espíritas portugueses terem deixado passar tanto tempo sem afirmar uma desejável autonomia cultural, que tivesse realizado a tradução completa de todas as obras de Allan Kardec, incluindo a Revista Espírita. A obra de Allan Kardec teria ganho, junto dos utilizadores da esplêndida língua portuguesa, mais vigor e trato familiar.

De resto, o impulso principal de termos concretizado este intento desejaria abarcar todos os públicos, desde aqueles que já se consideram integrados na magnífica cultura espírita, aos que nunca dela tiveram um conhecimento mínimo e que só agora possam ter sentido interesse em saber do que se trata.

Carácter da obra e suas qualidades essenciais


“O Livro dos Espíritos” trata de assuntos de índole universal, cujo conhecimento é indispensável a todos os seres humanos e conscientes do seu devir ontológico. É nesse plano que pode e deve ser entendida a necessidade de estudarmos a vida, os seus antecedentes e consequentes.
Saber quem somos e saber ao certo o que vai ser de nós para sempre: que coisa haverá mais importante do que isso?


luzrz

Uma expressiva criação gráfica do meu especial amigo ULISSES LOPES, que foi divulgada pela Editora Luz da Razão, do Porto.


 

“O Livro dos Espíritos” de Allan Kardec

formato livro (15 x 23) – 4.501 KB
actualização feita no dia 05 de Dezembro de 2016

tradução feita directamente do original francês,
para português de Portugal/2016

Neste ficheiro PDF os “links” relativos às Notas Finais não funcionam.
A sua consulta é portanto um pouco menos cómoda, embora possível.
Com o software de que dispomos, poderíamos publicar um ficheiro
de acesso às Notas finais e retorno automático,
mas isso produziria um ficheiro pesadíssimo e muito difícil de descarregar.
As nossas desculpas e muito obrigado pela atenção de todos os leitores.


———————————————————————————

Por não estarem directamente acessíveis nesta página, pedimos aos leitores interessados que façam o favor de aceder ao comentário de:

lugar@zul (@lugarazul)

seguido de outro comentário de EUGÉNIA RODRIGUES

cab-05


.
 

.

.

.

.

.

Sobre espiritismo cultura

A Realidade desta e de outras vidas
Gallery | Esta entrada foi publicada em LIVRO dos ESPÍRITOS, Uncategorized. ligação permanente.

3 respostas a “O LIVRO DOS ESPÍRITOS”, de Allan Kardec, em português de Portugal

  1. É um enorme privilégio vivenciar o elevado contributo prestado por esta dupla com vista à difusão da ideia mais útil à humanidade dos últimos séculos.

    Uma ideia que nasceu para o mundo em França e que a tanto nos engrandece que fiel à imagem mãe seja capaz de se afirmar, também, se possível, com um toque mais de brilho ainda na língua portuguesa de Portugal.

    Quero admitir que o acaso não existe e que durante mais de meia dúzia de décadas dois seres humanos notáveis se prepararam para realizar bem este feito – retenho a imagem acima do sonho da floresta, do quadro que nos fala de uma determinada identidade espacial e do ADN de um dos autores e, por fim do registo fotográfico do culto à mãe natureza – e ele aí está em substância observando amplos e mesmo raros matizes, já que sem eles não passaríamos do preto e branco – talvez até de mergulhados em erros elementares – para responder aos desafios gritantes exigidos pelo nosso tempo.

    Obrigado Costa Brites e Conceição Brites!

    Gilberto Ferreira

  2. Eugénia Rodrigues diz:

    Caros amigos José e Maria da Conceição,
    É com enorme alegria que reconheço o vosso empenho e valioso trabalho na tradução da excelente obra que acabam de ajudar a expandir melhor na língua portuguesa (de Portugal). Isto não quer dizer que eu não esteja grata aos brasileiros pelo seu interesse na tradução da mesma, mas não é a mesma coisa. E o que afirmo é visível na distinção absoluta entre o português de Portugal e o português do Brasil, prevista no Acordo Ortográfico.
    Portugal não se tem dedicado suficientemente a trabalhos deste género na área da Espiritualidade. Felizmente, surgem dois audazes (e com a devida formação em línguas) que iniciam uma nova era.
    Muito obrigada pelo vosso trabalho e pela forma como o apresentam.
    Será mais fácil para pessoas como eu, que se dedicam à formação, indicar este vosso “novo” livro, não precisando de preocupação com as formas de entender as traduções do Brasil.
    Estou-vos imensamente grata.
    E rogo ao Criador que vos permita o vigor suficiente para continuarem este vosso trabalho, pois há mais obras fundamentais de Allan Kardec que merecem o mesmo destino.
    Um grande abraço fraterno.
    Eugénia Rodrigues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s